6

Blogagem Coletiva: Nós, os pais


Selinho da blogagem coletiva criado pela incrível Super Duper Anne
Quando fiz a proposta para Alexandre, ele logo aceitou, e aí vai o seu super emocionado post.

Por Alexandre Cunha
"Para minha filha Aninha,
Nossa que responsabilidade minha descrever a sensação de ser pai; de me sentir pai. São bastantes sentimentos, pensamentos, emoções. Quando tinha acabado de fazer 28 anos já estava se formando aquele desejo de ser pai algum dia, olhava aqueles bebês, criancinhas, meus próprios sobrinhos, achava tudo muito legal, festivo. Claro que também pensei na parte de responsabilidades, manutenção, alimentação, saúde, enfim, uma gama de outras coisas que vêm junto com o sentimento de felicidade. Não esperaria que essa “HORA” fosse chegar tão rapidamente, aos meus 30 anos praticamente, com uma pessoa que malmente conhecia a fundo, mas que pressentia ser a mulher certa para minha vida. Sabe aquela sensação de segurança, equilíbrio, paz e certeza quando se está acompanhado da pessoa ideal? Pois é... Surgiu Marina em minha vida e com ela dona ilustríssima Ana Letícia (risos). Como é bom ser pai; sentimos-nos mais valentes, maduros, fortes e não tememos mais obstáculos e medos nenhum. É a cada momento você caminhar com os passos certos, seguros, pois agora não há mais seus pais para verificarem e o assistirem, mas uma pequenina pessoa com muitas alegrias, bondade, pureza e que com certeza seguirá alguns passos seus. Falo assim, pois, algum momento ela terá que caminhar com seus próprios passos e terá como referência os ensinamentos, a educação, as idéias dos pais. Choro muito sozinho às vezes por ter uma menina tão bem amada, cuidada, educada e inteligente quanto é Ana Letícia. É uma benção de Deus ser pai de uma menina que é feliz por natureza, surpreende a mãe muitas vezes com gestos, sinais e palavras de carinho que nem todas as crianças da idade dela possuem essa habilidade. Como disse, são muitas palavras, histórias, momentos e sentimentos para serem descritos num pedaço de papel. Agradeço todos os dias de ter uma mulher maravilhosa, inteligente, bonita por dentro e por fora logicamente, sensível e companheira. Sinto-me orgulhoso de fazer parte de sua vida, de suas histórias, de seus momentos mais agraciados que passa. Obrigado meu amor Marina por ter me dado uma luz, uma nova vida que é Ana Letícia pois me fez mudar muito. Encerro-me com um poema que sempre me emociono e me espelho muito. Fica com Deus... Amo-te Marina meu amor e minha filha Aninha.

”Hoje eu acordei mais cedo
E fiquei te olhando dormir
Imaginei algum suposto medo
Para que tao logo
Pudesse te cobrir
Tenho cuidado de voce
Todo esse tempo
Voce está sob o meu abraço
E minha proteção
Tenho visto você errar e crescer
Amar e voar
Você sabe onde pousar
Ao acordar ja terei partido
Ficarei de longe, escondido
Mas sempre perto decerto
Como se eu fosse humano, vivo
Vivendo pra te cuidar, te proteger
Sem você me ver
Sem saber quem sou
Se sou anjo
Ou se sou
Seu amor.
Saulo Fernandes"

6 comentários:

Cláudia Leite disse...

Ai, que lindo!
Me emocionei...
O amor que pais e filhos é o amor mais lindo e puro que existe!

Tentei convencer meu marido à escrever algo, mas nada...

Paloma Gavazza disse...

Muito legal essa blogagem coletiva!! tem dois selinhos pra vc lá no blog viu? (em posts diferentes) bjs!!

Ana disse...

Lindo depoimento!
Tô adorando ler os pais expondo assim seus sentimentos :)
Beijos!

Li disse...

Que lindo!
Fiquei emocionada com essas palavras!

Aproveito para convidá-los a ler o post do meu marido e também papai em meu blog:
http://passeadoeviajandoemfamilia.blogspot.com

Beijos!

Lívia.

Manu Paz disse...

Já li vários e já estou sendo até repetitiva... Esses papais me surpreenderam hein? Belo post, uma pena eu ter ficado de fora desta.

Parabéns pela linda família!

Um Beijo

Silvia Azevedo disse...

Que lindo!!! O meu topou escrever, mas perdemos o prazo... :(

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...