12

Susto e Hospital ou O preço da vaidade

Quando a Leti tinha 15 dias de vida uma enfermeira aposentada furou as suas orelinhas e pôs dois pontinhos de ouro que ela ganhou de presente da minha irmã.
De lá para cá, eu sempre verificava a orelhinha e nunca percebi nenhuma alteração. Tudo sempre ocorreu perfeitamente, nenhuma inflamação ou desconforto.
Quando ela completou um ano, o brinquinho que usava já não servia mais , estava pequenininho, então comprei outro maiorzinho. Este , foi perdido um dos pares. 
Comprei então uma argolinha africana, que não durou muito pois o encaixe de uma delas quebrou. Sem tempo para ir num ourives soldar a peça, agora no início de janeiro comprei outro par de brincos, daqueles que tem a base e um pino de encaixe para fechar.
Como falei, sempre verifico a orelhinha e o mesmo continuei fazendo, embora  com menos frequência ,por acreditar que sempre usando ouro a possibilidade de inflamação e alergia fossem menores ou até nulas.
Acontece que domingo eu notei que o pino do brinco da orelhinha esquerda havia sumido e quando toquei no lóbulo da orelha verifiquei que o pino estava dentro do orifício. Tentei tirar, mas percebi que seria tarefa impossível sem ajuda de um anestésico.
Ela não se queixou de dor ou desconforto, mas a prudência me fez parar de tocar no local.
Ontem, segunda, fui trabalhar e na volta passei numa farmácia e comprei pomada de lindocaína, gaze, soro fisiológico, na tentativa de que eu pudesse manipular e conseguir tirar. Mas nem comecei, pois percebi que estava muito lá dentro.
Então, hoje, a tarefa do papai, da mamãe e da titia foi procurar  uma clínica ou hospital que pudesse resolver o problema. A primeira clínica que fomos tinha um ortopedista de plantão que nem olhou pra nós e apenas disse que não poderia resolver.
Partimos para a emergência pediátrica de um outro hospital e a enfermeira que faz a triagem nos disse que não havia na unidade nenhum médico que pudesse fazer a intervenção, mas que ao lado havia a ala ortopédica do hospital e que com certeza lá eles fariam.
E assim fomos, eu já com o coração na mão, minha irmã tremendo e o papaicompanheiro fingindo ser forte para não nos desanimar.
Fomos atendidos por um médico excelente, um anjo colocado especialmente naquele lugar, naquela hora.
Falou que não dava mesmo pra tirar sem anestesia, e que talvez fosse necessário um pequeno corte para facilitar a retirada do pino.Ainda tentou manipular com uma pinça, mas o local estava inflamado e se remexesse demais , pioraria a situação.
Foi necessário uma anestesia no lóbulo, um pequeno corte, e o brinco saiu inteiro.
Tive que sentar na maca e colocá-la no meu colo. Minha irmã não quis entrar. O papai, meu maridocompanheiro, esteve o tempo todo junto dando força.
Muita força e calma nessa hora, porque dizem que não podemos passar para os filhos o nosso desespero, mas confesso, lágrimas vieram aos olhos. Ela foi forte até um momento, depois acho que pela fragilidade e sensibilidade do local, começou a chorar muito alto e lágrimas caiam de seus olhinhos. Tudo isso nos meus braços.
Eu a acalentava, beijava a cabeça e dizia que eu estava ali pra encorajá-la e ajudá-la. Por dentro, meu coração estava partido.
O médico ternamente me perguntou: --- Dói lá dentro, né mãe?
Chorei.
Chorei porque me senti culpada de ter furado as orelhas da minha filha. Chorei porque achei que fiz tudo errado, porque não olhei a orelhinha todos os dias religiosamente como quem reza um terço. Chorei por ter usado a minha filha como instrumento da minha vaidade.
Amanhã temos curativo. O médico santo falou que até sexta tá tudo ok e cicatrizado. Chegamos em casa e pasmem, tomou 2 pratinhos de sopa! Acho que a adrenalida abriu o apetite.
Diz que não sente dor, e assim que saiu do PA Ortopédico disse que queria ir num pula-pula.
Amanhã passo pra contar as novidades.

****
RESPOSTA AOS COMENTÁRIOS 
Estou em falta com as respostas aos comentários, mas a partir de hoje vou me reorganizar. Promessa!
 
1.Mariza, tô super em falta com você hein? E eu imagino como o Arthur deve estar espertão. Vou me atualizar pra não sumir.
2.Silvia, já dei uma lida no link que me enviou e tem dicas bem legais, Tentarei segui-las. Ah, amei a caderneta e já está tendo um bom uso por aqui. Depois faço um post contando como.
3.Ana e Lindinha: ser mãe é isso aí. Rir e chorar, chorar e rir. Bom mesmo é saber que fazemos parte desta maravilha que é fazê-los crescer.
4.Val, ela conhece sim o Sítio antigo e gosta muito. Ama a abertura e até canta a música.
5.Super Pai, não há porque agradecer nem retribuir. Amigos são assim, a gente conhece de longe e até virtualmente!
6.Chica e Priscila, obrigada pela visita. O blog de vocês é muito legal.
7. Chris, saudades de tu mulher.Andas sumida hein?
8. Milka, obrigada. E sucesso aí na sua nova empreitada.


12 comentários:

Priscila Sant'Anna: disse...

Marina,

Adorei o novo lay do blog, ficou lindo demais!!!

E que sofrimento! Nossa, a cada palavra tua ia sentindo lá dentro essa dor que só a gente que é mãe sente quando vê um filho chorar de dor.

Meu dia foi punk também por causa da adaptação...te confesso que tô meio chateada ainda.

As crianças, graças a Deus e ao contrário de nós têm uma capacidade tremenda de transcender a dor, a chateação, eles nos ensinam a cada dia, né?

Melhoras para tua pequena!
Ainda bem que deu tudo certo.
O médico bom é um anjo mesmo, que Deus coloca no lugar certo, na hora certa, para nos salvar.

Beijos
Pri&Bia
Ps. Já mandei o convite.

MEUS FILHOS MINHA VIDA disse...

Marina, imagino como se sentiu, dó por dentro da gente mesmo !

a Maria Clara esta sem brinco a 1 ano porque inflama e de vez enquanto tento por o brinco e qdo.inflama me sinto culpada.

melhoras para Leticia.

tomara que o apetite continue.

beijos

Silvia Azevedo disse...

Marina, minha amiga (será que já posso te chamar assim?), morri de dó com a situação da Leti, mas ó, não se culpe não. Sei que é coisa de mãe, mas tenha certeza de que não foi culpa sua.
Eu também quis furar a orelhinha da Amanda ainda na maternidade. Disseram-me: "maldade!"; mas não liguei porque sabia o que estava fazendo. Não o fiz por vaidade, sinceramente. Optei por furar ainda lá, a exemplo do que minha mãe fez comigo, pois se não crescesse com minhas orelhas furadas, garanto que não furaria depois por medo e sentiria tristeza por não poder usar brincos que gosto tanto. Foi isso que me motivou a furar as orelhas da Amanda; livrei-a de uma dor futura, já que esta com certeza ela não lembrará, e caso ela não queira usar brincos, é só deixar pra lá, o furo não atrapalhará.
E agora eu tenho receio que feche porque na creche não pode usar brinco para evitar acidentes. Fique na paz de Deus e no colo de Maria, que ela interceda por ti!

P.S.: Que bom que a cadernetinha chegou! Quero uma fotinho sua com o presente pode ser? Envie pro meu email. Também quero postar.

P.S.2: Acabei de ver uma matéria no programa Mais Você da GLobo sobre a qualidade do sono e suas influências na vida das crianças e adultos. Lembrei do que contou da Letícia. Caso não tenha assistido, tente ver no site depois.

P.S.3: Simplesmente A-M-E-I seu novo layout!!! Fofucho demais!

Beijão!

Cláudia Leite disse...

Ma,
Não se culpe...
Talvez tivesse sido pior vc deixar as orelhinhas sem furo e quando ela estivesse mais mocinha sofreria mais para ter o furinho.
Na verdade vc sofreu mais que ela mesma com toda a situação, fica mais tranquila.

Lindo seu layout! bjo.

Lilian Amorim disse...

Nossa Marina, fiquei aqui com meu coração apertado só de ler seu relato. Imagino vcs...
Mas olha, não se culpe, viu! Vc não foi negligente de forma alguma. E melhor mesmo furar enquanto é bebê do que quando estiver maior. Me lembro que sofri tanto quando fui furar a minha...
Fica bem, tá? E melhoras pra sua pequena.
Bjs

Lilian Amorim disse...

Ah...achei fofo o novo layout :)

Kcau-Coisa de Garotos disse...

Oi Marina.
Que susto em!
Eu ñ tenho menina, mas quando engravidei, uma das nossas conversas erra justamente sobre isto. Antes de saber o sexo do bb decidimos não por brincos pra não correr riscos assim, mesmo nunca ter informações de tal acontecimento.
Não estou te julgando tá, erros como estes nós cometemos constantemente. E, com certeza, não precisa ter alguém apontando nossos erros. A dor que sentimos já é suficiente.
Bom que ela já está melhor. Xêru

nicolandoporai disse...

Oi querida, primeiro, queria pedir desculpas pelo sumiço. Ando trabalhando bastante e resolvi me afastar um pouco dos blogs pra me concentrar no trabalho e sem que falte tempo pro meu filho.

Segundo, o blog ficou lindissimo! Parabéns.

E terceiro, fiquei com o coração partido com seu relato, mas não se culpe... Essas coisas acontecem e não tem como prever o resultado. Eu tb tive muitos problemas com alergias à brincos qdo era pequena, mas depois passa.

Fica bem e um beijo,

Lu

nicolandoporai disse...

Oi querida, primeiro, queria pedir desculpas pelo sumiço. Ando trabalhando bastante e resolvi me afastar um pouco dos blogs pra me concentrar no trabalho e sem que falte tempo pro meu filho.

Segundo, o blog ficou lindissimo! Parabéns.

E terceiro, fiquei com o coração partido com seu relato, mas não se culpe... Essas coisas acontecem e não tem como prever o resultado. Eu tb tive muitos problemas com alergias à brincos qdo era pequena, mas depois passa.

Fica bem e um beijo,

Lu

Manu Paz disse...

Qi que sofrimento viu... Mas amiga, não se culpe por nada. Colocar os brinquinhos eu não encaro como fruto da vaidade, mas sim como uma forma de diferenciar principalmente os bebes do menino e da menina. Algo assim... Não se culpe, acidentes acontecem.
Mas entendo a sua dor e seu sofrimento. Seja forte.

Melhoras e detalhe: o blog tá lindo demais! AMEI.

Abraços

Alexandre disse...

Olá pessoal, tudo bem com vocês?Espero que sempre. Bom...realmente nesse dia da "primeira cirurgia de Aninha", e espero que última, fomos muito fortes, mamãe, titia, pois o momento era muito delicado devido à idade e o local, de certa forma de difícil manipulação.Graças a Deus que existem profissionais dedicados e tenros que dignificam a escolha que fizeram e ainda por cima são gentlemans.Serei um pouco ignorante com as ideias e palavras mas não esperava que tivesse um médico tão bom num horário já tarde para o expediente normal: 19:30hs, pois os lugares que fomos nenhum tiveram a bondade de nos atendermos e sequer verificar a orelhinha da nossa filhinha. Graças a Deus correu tudo bem e eu como pai chorei bastante por dentro pois sei muito bem o que é cirurgia, por minimo que seja, e constatei como meus pais ficavam ao me ver naquela situação de emergencia.Mas´é isso aí...Aninha agora está bem e com muita vontade de aprontar..risos...Beijos e abraços pessoal...

Geovana Centeno disse...

Nossa pobrezinha da Le, elas ficam tão lindas de brinco né, é pode ser vaidade nossa, mas não se culpe viu, sei que quando nos tornamo mãe o sentimento "culpa" vem junto...mas melhor que deu pra tirar e agora ela esta melhor, que bom que voc~es conseguiram um profissional legal e atencioso...desculpe a falta de comentarios, mas agora me mudei e a casa ja esta quase toda em ordem e assim vou poder voltar a visitar vocês mais vezes...beijocas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...