8

Tempo de mudar

Trilha sonora do post: Tocando em frente ( Almir Sater e Renato Teixeira)

Ando devagar/Porque já tive pressa/E levo esse sorriso/Porque já chorei demais.....

Sabe quando você planeja alguma coisa na sua vida e tudo acontece ao contrário daquilo que você imaginou, e mesmo assim você tem que sorrir, seguir adiante, andar devagar porque com pressa não se chega a lugar algum?


...Hoje me sinto mais forte,/Mais feliz, quem sabe/Só levo a certeza/De que muito pouco sei,ou nada sei...

Sem dúvidas, a maternidade me tornou mais forte. A cada momento de difculdade penso que Ana Letícia está aí, e que ela precisa de mim, inteira, firme. Apesar de todas as incertezas que pairam sobre a minha cabeça, sinto também uma felicidade por ter esta pessoa para cuidar, amar, proteger.
Despedaçada, me sinto inteira. Paradoxos da vida de mãe.

...Conhecer as manhas/E as manhãs/O sabor das massas/E das maçãs...

Tempo de viver coisas novas. Ver o mundo com outros olhos.

...É preciso amor/Pra poder pulsar/É preciso paz pra poder sorrir/É preciso a chuva para florir...

No curso da nossa vida, custa aprender que para tudo estar bem, é preciso estarmos bem.
Se a gente não cuida do corpo, da mente, nada acontece de forma plena. E não se pode ser feliz quando estamos infelizes. E o pior: nem somos felizes, nem fazemos o outro feliz.

...Penso que cumprir a vida/Seja simplesmente/Compreender a marcha/E ir tocando em frente...

E a beleza de todo processo está aí: comprender, compreender, compreender. Uma coisa que me ajudou muito e vem me ajudando: acreditar de verdade que não sou vítima de nada nem de ninguém. Tudo acontece porque tinha que acontecer e eu fui responsável pelo processo, os bons e ruins.
Minha tarefa? Tocar em frente....sempre.

...Como um velho boiadeiro/Levando a boiada/Eu vou tocando os dias/Pela longa estrada, eu vou/Estrada eu sou...

E tem aqueles dias em que tudo se encaixa, como no momento das peças finais dos quebra-cabeças, e tem aqueles em que tudo se desencaixa numa aflição tonta de não haver sentido, nem paz, amor, futuro ou coisa alguma. E nestes dias, eu caminho, trilhando minha vida...porque .....
Cada um de nós compõe a sua historia
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
6

A estreia de Leti no cinema

Hoje fomos assistir Rio.

Depois de uma tentativa frustrada na semana passada, quando fomos até um shoping da cidade e o cinema estava simplesmente LOTADO porque o filme está em exibição em apenas uma sala ( o que causou uma grande decepção na pequena), finalmente hoje conseguimos ver o tão falado filme.

Durante a semana foi uma preparação. Explico. Ana Letícia dorme TODAS as tardes das 14 às 16. E as sessões do turno vespertino eram todas neste intervalo. Não daria tempo de acordar, dar banho, vestir, arrumar tudo e tomar o caminho da rua. Nossa única opção seria a sessão das 18, disponível em apenas um cinema da cidade (é isso aí, tô ainda na Colônia), ou alguma sessão ainda pela manhã.

Entrei no site dos shopings, consultei os cinemas, e para não correr o risco de enfrentar alguma fila e oferecer para minha filha mais uma decepção desnecessária, optei por comprar os nossos ingressos com antecedência pelo site Ingressos.com. E deu tudo meio certo, se não fosse o equívoco do shoping em divulgar no site o horário errado da sessão (repito, tô numa Colônia). Mas conseguimos resolver sem traumas na bilheteria.

Leti estava super animada com a perspectiva de ir ao cinema pela primeira vez. Quando acordou, disse para ela que iríamos ao cinema e ela me perguntou foi: --- Mãe, e o cinema não tá cheio não? ( a decepção marcou, tão vendo?)

Eu respondi que não, mostrei nossos ingressos e disse que dessa vez conseguiríamos assistir. Animadíssima, falou que ia comer pipoca e tomar gualaná (muito fofa).

Tivemos que esperar um pouco mais por causa do erro com os horários, mas nada disso impediu que nossa manhã fosse muito linda.

Ela se comportou super bem, deu risada com algumas partes do filme, entendeu muito bem a recomendação de não conversar durante a sessão, comeu sua pipoca e bebeu seu gualaná.

Dormiu já bem no finalzinho, afinal, já estava chegando a hora do seu soninho de todo dia.




*********

E o negócio é que a estreia dela significou a minha reestreia no cinema!

Depois de tanto tempo de castigo, fui ao cinema pela primeira vez, novamente!

E amei ter ido assistir RIO! Apesar de não ser  nenhuma super produção com um roteiro hipermegaultramaravilhoso e cheio de lições para o dia-a-dia, eu simplesmente AMEI o filme!

Amei, amei amei!

Me identifiquei com o Blu (toda e completamente), rsrsrs.

Chorei quando ele não conseguiu voar, ri em outras tantas partes e o principal, fiquei muito, mais muito feliz, de poder participar junto com a minha filha desta ida ao cinema.


0

A maior flor do mundo (José Saramago)

“E se as histórias para crianças fossem de leitura obrigatória para os adultos?
Seríamos realmente capazes de aprender aquilo que há tanto tempo ensinamos?”
José Saramago


Conto para crianças (e adultos) escrito e narrado por José Saramago. Um pequeno conjunto de símbolos e enigmas, destinado a uma infância que cresce num mundo marcado pelo individualismo, e falta de esperança e de ideais.

5

Amores da nossa vida ( parte II)

Tinda Pati, eu e minha mãe)

Hoje me  coloco aqui para escrever sobre cumplicidade e amor...somente por ter uma amiga.
Nesta manhã acordei e me prendi, inexplicavelmente, a momentos tão simples que compartilhei com essa pessoa.
Refiro-me àqueles momentos hilários em que não é necessário que mais ninguém ache graça de nossas bobagens...
Aqueles momentos em que você está na maior depressão e a pessoa aparece (de verdade ou virtualmente) e te diz aquilo que você queria ou não ouvir...
Aqueles momentos de frisson e alegria, das noites sem dormir, das gargalhadas, das decepções.....e por que não dizer dos ciúmes também?
Ser amiga é mais que risos e festas...é surpresa...é companheirismo...é dizer o que gosta e ouvir o que não gosta...é reconhecer que a amizade honesta tem que ser assim mesmo...Que sentido teriam as risadas se não fossem com quem você também já chorou e que tanto se preocupou com o rumo que você dá à sua vida?
Depois de Alexandre, Patrícia foi a primeira pessoa que soube da minha suspeita de gravidez, e do meu resultado positivo. Me deu força, me emprestou o ombro, dormiu comigo e me disse: tá tudo bem, você vai conseguir.......
Fez enxoval, mandou de lá das bandas do centro do Brasil coisas tão lindas para a pequena Leti ( algumas guardo até hoje e ficarão de lembrança).
Me ajudou incondicionalmente em um momento de dificuldade.
Poderia eu não tratá-la com mesura?
Pois hoje, Patrícia, o post é para você... sem mais palavras, deixo aqui minha sincera admiração pela sua pessoa (você sabe que te amamos).

11

Faxina.....

Voltei...
Vou faxinar o blog, tirar a poeira disso aqui , passar em todos os cantinhos e voltar a comentar os comentários que recebo e também comentar nos blogs amigos.
Muita saudade disso aqui e da interação estabelecida.
Saudade das para sempre amigas que me segeum e que eu sigo..........

****

E para começar bem o domingo, estava fazendo um currículo para meu irmão quando Ana Letícia me chama.
---- Mãe, vem cá!!!!!!!!!!! ( me puxando pela mão)
Quando chego na sala, está passando este vídeo aqui na Tv:
Ela pede para eu me abaixar, me dá um forte abraço e me diz:
----Mãeeeeeeeeeeeee, amo voxê!!!!!!!!!!!

Derreti!

***
Agora a disciplina tenebrosa da pós-graduação terminou. Em junho recomeço com o TCC, de forma que o mês de maio está sendo mais tranquilo para administrar o tempo. E neste período, percebi que a chateação de Ana Letícia é 50% devido à idade, e 50% devido a minha falta de tempo mesmo.
Em junho, preciso encontrar novamente uma saída para administar isso...

***
Ana Letícia está com 2 anos e 7 meses. Está mais falante, mais carinhosa, mais esperta, mais atenta a tudo que a gente diz.
Ano que vem ela vai para a escola e eu já estou pensando em fazer uma pesquisa básica a partir do segundo semestre para saber qual instituição vai acolher a minha princesinha.





***

8

A origem

“Tomar uma decisão de ter um filho é algo que irá mudar sua vida inteira de forma inexorável. Dali para frente, para sempre, o seu coração caminhará por caminhos fora do seu corpo.“

Antes de ser mãe eu também tinha aquela ideia que Dia das Mães é todo dia, e que o Dia das Mães é apenas mais uma data do comércio.

Não que eu tenha mudado radicalmente a minha opinião. Ainda concordo que a maioria das datas comemorativas servem primordialmente ao comércio, mas é um pouco difícil não sucumbir a tantos comerciais de televisão, trabalhos escolares, e todo mundo falando que o segundo domingo de maio é o Dia das Mães.

E é impossível não lembrar, hoje, de que a origem do Dia das Mães tem um simbolismo muito bonito.

"Em 1905 Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a idéia de perpetuar a memória de sua mãe com uma festa. Ana quis que a festa fosse estendida a todas as mães, vivas ou mortas, com um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães. A idéia era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.
Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães.
Em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), unificou a celebração em todos os estados, estabelecendo que o Dia Nacional das Mães deveria ser comemorado sempre no segundo domingo de maio. A sugestão foi da própria Anna Jarvis. Em breve tempo, mais de 40 países adotaram a data.
O sonho foi realizado, mas, ironicamente, o Dia das Mães se tornou uma data triste para Anna Jarvis. A popularidade do feriado fez com que a data se tornasse uma dia lucrativo para os comerciantes, principalmente para os que vendiam cravos brancos, flor que simboliza a maternidade. "Não criei o dia as mães para ter lucro", disse furiosa a um repórter, em 1923. Nesta mesmo ano, ela entrou com um processo para cancelar o Dia das Mães, sem sucesso.
Anna passou praticamente toda a vida lutando para que as pessoas reconhecessem a importância das mães. Na maioria das ocasiões, utilizava o próprio dinheiro para levar a causa a diante. Dizia que as pessoas não agradecem freqüentemente o amor que recebem de suas mães. "O amor de uma mãe é diariamente novo", afirmou certa vez. Anna morreu em 1948, aos 84 anos. Recebeu cartões comemorativos vindos do mundo todos, por anos seguidos, mas nunca chegou a ser mãe."         INFORMAÇÃO DAQUI

Por isso, hoje, ao passar o terceiro Dia das Mães com a minha filha amada por perto, eu não consigo deixar de pensar de forma muito forte na minha MÃE, mulher guerreira, forte, que lutou por toda sua vida pelos filhos, fazendo grandes renúncias, passando noites sem dormir, para tornar os seus seis filhos o que são hoje: pessoas honestas e do bem!

E luto, para que eu seja metade do que ela é. Que eu tenha a capacidade da sabedoria, da misericórida, da renúncia, da alegria, da persistência.

***
FELIZ DIA DAS MÃES PARA TODAS NÓS!


6

Eu volto

EU PROMETO QUE VOLTO.

RESPONDENDO TODOS OS COMENTS DAS AMIGAS E AMIGOS QUERIDOS, ATUALIZANDO O RETRATO COM AS PERIPÉCIAS DA MINHA PEQUENA ANA LETÍCIA.

ESPEREM, EU VOLTO.........


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...