2

Finalmente, o sorteio

Bom gente, prometi o sorteio para a tarde , mas não deu.
Mas conforme combinado, o blog atingiu os 50 seguidores e o sorteio foi efetuado hoje ainda.
Tivemos 51 comentários válidos.
Segue as fotos do sorteio:


E a grande vencedora foi: THAIS SCAVASSA DO BLOG DUDU E EU.
Tá com sorte hein amiga?
Ganhou a Mochila Danoninho e agora ganhou o livro do Ziraldo.
Espero que o Dudu aprove e faça bom gosto do livro. Estou te enviando um e-mail pra que você me encaminhe seus dados. Se as agências dos Correios estiverem abertas nesta segunda, mando logo. Se não, só na quarta, ok?

E para as outras amigas, não desanimem, pois semana que vem, a partir do dia 8 de novembro, iniciarei o sorteio de mais um livro. É só vocês ficarem ligadinhas no blog e não esquecerem de passar aqui no cantinho sempre, ta bom?

*****************************
E por falar em sorteio, não esqueçam do DVD da Galinha Pintadinha 2 e de um DVD Monstros ou Os Incríveis. Tá rolando no blog da Mariza, o Cantinho do Rei Arthur.
Passa lá gente!
3

Mais tarde vai acontecer......

...... o sorteio do livro Além do Rio, de Ziraldo.
Atingimos a meta dos 50 seguidores, graças a vocês, queridas amigas blogueiras.
Vou ali resolver umas questões e volto já, para fazer o sorteio, ainda hoje a tarde.
Beijos e façam suas figas.

OBS:
A última postagem foi da Jaqueline Fayão, em 29 de outubro de 2010 às 16:17. 
A contagem será feita até aí, ok?
5

Desfralde, pizza e febre

Desde que a Ana Letícia fez dois aninhos, no último dia 7, começamos aqui em casa a campanha do desfralde.
Quando ela acorda e toma o primeiro banho do dia, vestimos a roupinha e deixamos a pequena sem fralda.
E ela está começando a se adaptar: sempre que está com vontade de fazer xixi, pede pra gente levá-la ao banheiro. O único detalhe é que ela não tem aceitado usar o peniquinho, só quer usar o redutor de assento. Desde que começamos a campanha, ela só fez xixi na calcinha uma única vez. E sem traumas.
Já o cocozinho está mais complicado, pois ela só quer fazer na fralda. Mas já é um caminho bem andado.
Nós aqui estamos adorando a ideia. Primeiro porque com o calor imenso desta cidade, não usar fralda é uma maravilha para o bumbunzinho. Segundo, porque estamos começando a sentir a economia, visto que agora ela usa apenas umas 3 fraldas por dia.
Maravilha, não? Já podemos guardar este dinheiro ou investir em outra coisa.

****************************

E ontem cheguei me casa super cansada e morta de fome. Tinha uma pizza pronta na geladeira, coloquei no microondas mesmo, pois estava até sem coragem para colocar no forno convencional.
Sentei na cadeira da cozinha e a pequena pergunta:
---- Qui isso mãe?
---- É pizza , você quer?
---- Eu não. Eu qué naná (guaraná).
---- Mas não tem guaraná filha.
---- Tem sim, se tem piza, tem naná.

Pode?

**************

E ontem a tarde e durante a madrugada Leti teve febre de 37,7°.
Quando a febre vem chegando, ela fica molinha e dengosa. Mas medicamos com Tylenol Criança e ainda bem, ela melhorou.
Ainda não levei ao médico nem liguei para o pediatra pois não está vomitando, nem está com diarréia. Aparentemente, não está sentindo dor. Está comendo normalmente, brincando e pulando como sempre.
E hoje, ainda não apresentou febre.
Vou aguardar até a noite para ver. Tomara que seja mais uma dessas viroses não muito difíceis.
Porque temos um longo feriadus prolongadus pela frente, e desejamos mesmo sair bastante para passear e curtir a nossa pequena juntos, mas com muita saúde.

 
2

Lista parcial do Sorteio

Meninas, vou colocar aqui a lista parcial do sorteio do livro.
Antes, tenho dois recados especiais.
O primeiro é para a Nádia : minha querida, você fez o comentário no post errado. .
O segundo recado é para a a Michele Chimelo, que cometeu o mesmo equívoco da Nádia.
Portanto, peço a essas duas amigas que por favor coloquem os seus dados no lugar certinho, pois não quero que vocês fiquem de fora do sorteio de jeito nenhum!
Cliquem na imagem do livro aí do lado direito e coloquem o seu comentário com os dados solicitados.

Bjaum nas duas!

E faltam 9, tá pertinho. Continuem na divulgação.

Agora, segue a lista parcial:

1 gisele.artes
2 Ro e Mari Batista
3 Ro e Mari Batista
4Patricia Fortunato
5Adriana Camaratta
6Fernanda Piovezani
7Fernanda Piovezani
8 Emanoela Paz
9Luciana Fiuza
10Chris Ferreira
11Chris Ferreira
12Thais scavassa
14Karin Vanessa
15Elisabete Ramos
16fernanda reimao
17Caroline Pontes da Silva
18Caroline Pontes da Silva
19Ana Amaral
20Evelyn Horn
21SAlviana nogueira de oliveira
22Monica Cristina dos Santos
23carolina pontes
24Carol e Gabriel.
25Carol e Gabriel.
26Regina Canário
27Simone Azevedo
28Ana
29Sandra R T de Mello
30Rose do Rio de Janeiro
31Jhéss
32Leonice Campelo
33Cassia Minko
34HANNALU EMNDES DE ANDRADE
35Renilda Cardoso
36Geovana Centeno
37Geovana Centeno
38Kalyane
39Simone flor de sofia
0

Está perto

Faltam apenas 9 seguidores para o sorteio do livro Além do Rio, de Ziraldo.
Vamos lá gente! Tá chegando!
Sigam o blog, e cadastrem-se no link aí do lado direito, onde aparece a imagem da capa do livro.
0

Uma mesma dor

Passeando pela blogosfera das amigas, percebi três postagens recentes sobre luto. Curiosa, fui ver do que se tratava.
E li, no blog da Aline, uma das mais belas histórias de fé e amor que eu pude ver até hoje.
Não conheço-a. Também não conhecia o blog, o que só veio ocorrer hoje devido à postagem das amigas virtuais? que sigo.
Descobri que Aline perdeu o seu precioso filho, indo ele embora desta vida terrena. Li o blog inteirinho, terminei a pouco. Meus olhos encheram de lágrimas a cada mensagem desta linda pessoa.
Sem maiores delongas, não farei sensacionalismo sobre a vida dela nem do filho, pois isso ela muito temia enquanto escrevia e relatava toda a sua luta.
Mas sinto-me compelida a escrever este post, pois se ela algum dia ler isto aqui, saberá que mais uma pessoa neste mundo está orando por ela e desejando toda paz e força do mundo! E que mesmo sem estar lendo o seu blog a mais tempo, estou numa mesma dor....
Aline, que Deus te abençõe grandemente e te conceda toda serenidade necessária para enfrentar este momento.Não só a você, mas a toda a sua família!
Que Jesus esteja sempre contigo!
2

Coisa linda de se ver e ouvir

Recebi esta coisa linda por e-mail hoje. Quem me mandou foi Kleber, meu amigo e amigo de trabalho, competentíssimo professor de música e gente finíssima pra dedeu.

Coisa lindíssima de se ver e ouvir, a obra do brasileiro Jarbas Agnelli mostra 38 pássaros pousados em cabos de alta tensão. A imagem formada é impressionante. Os cabos representam linhas de partitura, enquanto a distribuição das aves no cenário configura notas musicais, criando uma bela melodia.
Confiram abaixo e deliciem-se. Leti amou.



2

A incrível arte de perder acessórios para cabelos

Desde que fiz última ultrassonografia e a médica pincelou o comentário que minha filha tinha cabelo, perdi a conta de quanto dinheiro já joguei fora com todo tipo de laços, tic tacs, tererês, tiaras, elásticos.
É incrível, mas eles se perdem pela casa em uma velocidade inexplicável, rs.
Quando preciso deles, nunca estão à mão em pares, mas sempre um aqui, outro não sei onde.
Já separei tudo em potinhos, por tipo.
Já separei em em potinhos, por cores.
Já deixei tudo junto e misturado.
Já coloquei em lindos potes de madeira comprados especialmente para este fim.
E nenhuma das soluções acima resolveram o meu problema: organizar e não perder os prendedores.
Todas as vezes que um par de acessório é usado, pode acreditar, na outra vez, sempre vai faltar uma peça.
E daí, que toda vez que passo num bazar com lindos laços e tudo o mais que enfeita nossas cabeças infantis, compro aos montes, para sempre serem perdidos novamente.
E vocês, queridas leitoras que são mães de lindas meninas, o que fazem para não perder os acessórios de suas bonecas?
*********************************************************************************
E não esqueçam do sorteio do livro Além do Rio. Faltam apenas 10 seguidores para acontecer. Clique aí do lado direito para participar.
1

Está faltando....

apenas 11 seguidores para acontecer o sorteio do livro Além do Rio, do Ziraldo.
Divulguem.....
Quanto mais rápido chegarmos aos 50, mais rápido será o sorteio!!!!
Boa sorte!
1

Blogagem coletiva: Vínculo


Encontrei no site da Jo uma blogagem coletiva sobre vínculo. Achei super legal e vou blogar também sobre o assunto.
Meu vínculocom minha pequena começou bem antes de saber que estva a esperar uma menininha. Um dia, quando ainda estava com 4 meses e não sabia o sexo do bebê, estva a conversar no msn com Valeriaquando ela me envia um link do Youtube com uma linda música.
Estranhamente, perguntei para ela:--- Você está prevendo que meu nenê é uma menina? E ela sorriu, apenas.
Fiquei alguns bons minutos escutando a música e dentro de mim, meu nenem mexeu muito!!!!
Quando descobri aos 5 meses o sexo do bebê, e a minha tão sonhada menininha se confirmou, todas as noites eu continuava a escutar esta música. Acariciava minha barriga, falava palavras de amor, e ela mexia, mexia , mexia.
O papai beijava a barriga ouvindo a música também, e dizia: Papai te ama! E Ana Letícia parecia mesmo entender tudo.
O interessante é que quando ela nasceu, sussurei estas palavras para ela, pedaços da música: "sou teu gesto lindo, sou teus pés, sou quem olha você dormindo,ô menina, guardo você comigo...."
E Ana Letícia cresceu ouvindo esta música. Dormia no seu embalo, eu cantando baixinho. Quando acordava de madrugada para mamar, também cantava para ela. E a danadinha já sabia que esta era a sua música. Quando eu parava de cantar abria os olhinhos, como quem pedia mais.
Até hoje escutamos juntas na hora de dormir. Aos 2 anos, ela já canta algumas partes....
Brincamos de casinha de cobertor, dormimos em um só colchão, guardei sua primeira blusa de lã.... Todos os dias levo comigo o sorriso da minha pequena e coloco na minha mesa de trabalho, e é isto que me faz viver e ter um dia melhor....
E todos os dias nossos olhinhos se fecham com um delicioso "Boa noite Mamãe, Eu te amo", sussurado no ouvido, e eu digo para ela: "Te amo também filha, guardo você comigo, vou te sonhar comigo...".
4

Imperdível!

Mais uma promoção imperdível:
Siga o blog Mãe mochileira, filho malinha e concorra a uma linda bolsa térmica. Ela é portatil e impermeavel por dentro,perfeita para levar aquele lanche no passeio,pois vem com um gel térmico que garante a temperatura por até 15  horas!!!!
Tá esperando o que?
1

Tô dodói :(

Pessoal querido
Não estranhem se eu ficar alguns dias sem postar aqui.
É que de repente houve uma mudança de clima aqui em Salvador, de uma temperatura de quase 40 graus, chegou por aqui uma frente fria com muita chuva e uma ventania!
O resultado de tudo isso é que fiquei péssima: rinite alérgica atacada, garganta inflamada, coriza, muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiitaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa dor de cabeça. E muito sono também, por causa dos corticóides, que neste estágio, é a única coisa que me deixa boa.

Segue uma fotinha da minha cidade hoje de manhã, no auge da chuvarada:
Toda vez que chove é assim. Triste, triste

Enquanto isso, vão divulgando o sorteio do livro de Ziraldo aqui do blog. Para participar, clique AQUI.
Até o blog ter 50 seguidores!
Beijos a todas e todos!
52

1º SORTEIO DO RETRATO FALANTE

Você gosta de ler para e com seus filhos?
Acha a leitura importante para o crescimento intelectual dos pequenos?
Então, participe do nosso 1º sorteio!
Assim que o blog Retrato Falante atingir 50 seguidores, vou sortear um lindo livro do Ziraldo. É este aqui ó:



Para participar, é muito simples, basta seguir as regrinhas:

1. Ser um seguidor público do nosso blog ( no lado direito da página)

2. Escrever o seu nome,nome de seguidor, email  e cidade nos comentários deste post.

3.Se tiver um blog, divulgar o sorteio num post e colocar o link no comentário deste post. Neste caso, terá mais uma chance, basta enviar o link da divulgação.

4. Morar no Brasil. 

E aí pessoal? Animados? Quem será que vai ganhar?
Estou agurdando os comentários de vocês aqui embaixo. 

Até lá, quando o blog atingir 50 seguidores!
0

Sorteios

 OPORTUNIDADE 1
Quer ganhar um perfume bem cheirosinho, igualzinho a este aqui?

Clique aqui.  Só até o blog completar 500 seguidores.
**********************************************************************************
 OPORTUNIDADE 2
Quer ganhar o DVD da Galinha Pintadinha 2?
Clique aqui!
Quer ganhar o DVD Os Incríveis e Monstros S.A?
Clique aqui!
Tudo isso de uma só vez no Cantinho do Rei Arthur! Não percam!
1

Será o papai?

Gente, todos sabemos que as características físicas de uma criança são determinadas pela genética, assim como muitos traços de personalidade também.
E é incrível como ultimamente tenho visto demais do papai na Ana Letícia!
Isso não me deixa triste, pois o que estou percebendo são características positivas (pelo menos eu gosto) dele que estão desabrochando nela também. Muitas vezes fico paradinha, só observando as atitudes da pequena e pensando cá com meus botões: poxa, mas como são iguais!
Por exemplo, Ana Letícia ama dançar. Já tem um jeito todo especial, dança conforme o ritmo da música, e dança com tudo mesmo, basta ter som! A mamãe aqui? Nem em sonho! Até remexo o corpo, mas dançar mesmo, com ritmo, é difícil! Acho até que vou aproveitar o embalo e me matricular junto com ela em uma academia de dança. Mais uma do papai!
Outro exemplo, é que minha filhota é bem destemida com tudo. Não tem medo de animais, não tem medo de subir nos brinquedos do parquinho. Ontem mesmo, ela subiu os três degraus da cama elástica. Ficamos perto monitorando, é claro, mas quando reparamos, ela já estava lá dentro, toda feliz e dizendo: Subi sozinha! Fez o mesmo semana passada com a escorregadeira do parque de um restaurante que frequentamos.
E eu não me lembro mesmo de ter sido assim. Mesmo tendo crescido em casa com quintal e pé de árvores, eu tinha um certo receio de me machucar, de ficar ferida. Pra finalizar, digo para vocês que por causa de todo o medinho, até hoje não sei andar de bicicleta.Já o pai, tem várias cicatrizes, conta mil peripécias infantis.
O fato diante disto tudo, é que a mamãe aqui precisa ficar sempre se monitorando para não podar a menina, dando o limite certo do receio, porém sem constrangê-la ou torná-la medrosa.
Tarefa difcíl que estou aprendendo...Será que consigo?
1

Vesálio de Luísa

Ontem foi a comemoração do aniversário da priminha Luísa. Tanto Leti quanto Luísa são librianas; Luli do dia 14 de outubro e Leti do dia 7.Ano que vem, que Leti já está maiorzinha, estamos planejando fazer uma festa conjunta. Segredo de estado, mas estou pensando em combinar uma festa a fantasia......... Tomara que dê certo.
Luísa já está uma mocinha. Completou 5 anos. A festinha dela foi no Habib's da Barra.
Confiram as fotos da minha figurinha se divertindo:
Dançando na Boate com o papai

Produção fashion

Na piscina de bolinhas

Dançando na boate
3

Constatação

Hoje li um post no blog da Nanda, a mãe da Lulú, sobre como o tempo passa e nossso filhos crescem tão depressinha.
Tenho um exemplo disso aqui em casa também: até outro dia minha filha chamava botão de buto, e assim, de uma hora pra outra, começou a chamar direitinho. Confesso que dá uma saudadezinha lá dentro, bem no fundinho.
E por alguma coincidência, uma amiga me mandou uma mensagem em power point que falava mais ou menos do mesmo assunto. Vou compartilhar aqui com vocês, porque é muito bonita.

Antes que elas cresçam
Affonso Romano de Sant'Anna

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

É que as crianças  crescem. Independentes de nós, como árvores, tagarelas e pássaros estabanados, elas crescem sem pedir licença. Crescem como a inflação, independente do governo e da vontade popular. Entre os estupros dos preços, os disparos dos discursos e o assalto das estações, elas crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância.

Mas não crescem todos os dias, de igual maneira; crescem, de repente.

Um dia se assentam perto de você no terraço e dizem uma frase de tal maturidade que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.

Onde e como andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu? Cadê aquele cheirinho de leite sobre a pele? Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços, amiguinhos e o primeiro uniforme do maternal?

Ela está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil. E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça. Ali estão muitos pais, ao volante, esperando que saiam esfuziantes sobre patins, cabelos soltos sobre as ancas. Essas são as nossas filhas, em pleno cio, lindas potrancas.

Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão elas, com o uniforme de sua geração: incômodas mochilas da moda nos ombros ou, então com a suéter amarrada na cintura. Está quente, a gente diz que vão estragar a suéter, mas não tem jeito, é o emblema da geração.

Pois ali estamos, depois do primeiro e do segundo casamento, com essa barba de jovem executivo ou intelectual em ascensão, as mães, às vezes, já com a primeira plástica e o casamento recomposto. Essas são as filhas que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias e da ditadura das horas. E elas crescem meio amestradas, vendo como redigimos nossas teses e nos doutoramos nos nossos erros.

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

Longe já vai o momento em que o primeiro mênstruo foi recebido como um impacto de rosas vermelhas. Não mais as colheremos nas portas das discotecas e festas, quando surgiam entre gírias e canções. Passou o tempo do balé, da cultura francesa e inglesa. Saíram do banco de trás e passaram  para o volante de suas próprias vidas. Só nos resta   dizer “bonne route, bonne route”, como naquela canção francesa narrando a emoção do pai quando a filha oferece o primeiro jantar no apartamento dela.

Deveríamos ter ido mais  vezes à cama delas ao anoitecer para ouvir  sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de colagens, posteres e agendas coloridas de pilô. Não, não as levamos suficientemente ao maldito “drive-in”, ao Tablado para ver “Pluft”, não lhes demos suficientes hambúrgueres e cocas, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas merecidas.

Elas cresceram sem que esgotássemos nelas todo o nosso afeto.

No princípio  subiam a serra ou iam à casa de  praia entre embrulhos, comidas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscinas e amiguinhas. Sim, havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de sorvetes e sanduíches infantis. Depois chegou a idade em que subir para a casa de campo  com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma aqui na praia e os primeiros namorados. Esse exílio  dos pais, esse divórcio dos filhos, vai durar sete anos bíblicos. Agora é hora de os pais na montanha  terem a solidão que queriam, mas, de repente, exalarem contagiosa saudade daquelas pestes.

O jeito é esperar. Qualquer hora podem nos dar netos. O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco. Por isso, os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável afeição. Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.

Por isso, é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que elas cresçam.

1

CD Tempo de Brincar

Hoje é dia dos professores, e acabei de receber do carteiro o meu presente e de Leti, que foi enviado pela Fernanda, mãe da Lulú.
É este aqui ó:
Ana Letícia tá dormindo, mas assim que ela acordar, coloco pra ouvir e conto como foi.
2

A Odisséia da Amamentação


Já passei por diversos blogs de mamães e um assunto que sempre está em pauta é a AMAMENTAÇÃO. Gente que queria amamentar mas não amamentou, gente que conciliou leite artificial e natural, gente que teve bebê que não sabia sugar, gente que tinha pouco leite, gente que tinha muito leite.
Enfim, diversas situações que deixam as mamães extremamente cansadas, cheias de dúvidas, com sentimento de culpa, principalmente se formos as famosas de primeira viagem! E o que me inquieta é que por mais que façamos tudo direitinho, as vezes não dá certo.
Vou contar aqui para vocês  como foi para mim a Amamentação da Ana Letícia.
Durante a gravidez inteirinha, eu apertava meu seio e não saia nem sequer uma gotinha de leite. Achava que eu seria uma daquelas mães que não iam produzir leite suficiente para o bebê, até porque minhas irmãs já haviam parido e não amamentaram porque não tinham leite (para os médicos isso não existe).
Pois bem, que nas primeiras horas de vida de Ana Letícia, enquanto minhas pernas ainda se encontravam sob o efeito da anestesia, levaram  a minha cria para o quarto e lá uma enfermeira muito delicada a colocou junto ao meu seio para mamar. E a bezerrinha simplesmente abocanhou todo o mamilo e começou a sugar, instintivamente, e como milagre, meu seio começou a produzir e expelir o colostro.
E assim se passou um dia inteirinho: a cada meia hora minha bezerra queria mamar, e nesse incentivo todo, meu corpo  começou a entender a mensagem e passou a  produzir leite de verdade.
Esse processo de descida do leite chama-se  Apojadura, e pode vir acompanhado de alguns sintomas desagradáveis, tais como: febre, mal  estar, dor de cabeça, formigamento nos seios, etc. Eu tive todos eles. E a cada mamada, meus seios enchiam mais, no início pingava, depois jorrava. Eu parecia uma verdadeira vaca sendo ordenhada.
Só que do nada, mas do nada mesmo, meus mamilos racharam. Na primeira visita a pediatra, reclamei com ela do mamilo ferido e a mesma atribuiu as rachaduras à má posição que eu colocava a pequena para mamar. Acontece que eu já havia lido bastante sobre o método correto de fazer a criança abocanhar os mamilos, e minha filha e eu estávamos fazendo tudo bem certinho. A médica ainda me pediu para demonstrar como eu colocava ela para mamar. Demonstrei, e ela ficou de cara no chão. Apenas disse: é , você está fazendo tudo certinho. E a conversa parou aí, ela apenas me recomendou que  ao final de cada mamada, passasse o próprio leite nos mamilos e deixasse secar.
Voltei para casa, segui as recomendações, mas a cada dia as feridas continuavam iguais. Em alguns momentos do dia, por não suportar a dor, solicitava de minha mãe que fizesse o Nam 1 para ela. Só que a danadinha bebia todo o  leite da mamadeirinha e não se conformava. Chorava igual bezerra no desmame, e só se acalmava quando eu a colocava no seio. Para mim, aquilo era um dos maiores sacrifícios que eu estava fazendo na vida, pois a coisa doía mesmo! Para tomar coragem, eu mordia uma fralda, fechava os olhos e quando ela abria a boca, minha mãe a colocava no seio, que ardiam, ardiam e ardiam.
Numa das consultas com minha GO, Dtra Alba, a mesma me indicou uma pomadinha importada chamada Lansinoh®, que custa os olhos da cara! E eu comprei, mas não resolveu nada!
Ana Letícia gostava de mamar, e não queria aceitar o leite artificial de jeito nenhum. Os dias foram passando, e comecei a sentir um carocinho no seio direito. Parecia que o leite estava empedrando. Fui em busca de mil orientações de pediatras, ginecologistas, banco de leite ( aqui em Salvador tem um na maternidade  da UFBa), pessoas mais velhas.
Os mais velhos mandavam eu passar o pente, os pediatras mandavam eu passar leite e tomar sol no seio, a ginecologista receitava pomadinhas como a citada acima, o banco de leite me ordenhava e dizia que o empedramento ia dissolver.Qual o que!
O resultado de toda essa odisséia  é que um dia, acordo com os seios extremamente inchados, vermelhos, queimando feito fogo , endurecidos e com aquele carocinho mais proeminente ainda. Tive febre, dor de cabeça, sensação de desmaio. Queria ter o poder de tirar os seios do corpo e jogar fora. Tudo doía, até uma gota d’agua ou o vento que passasse.
No desespero, liguei para uma clínica a procura de um mastologista. Felizmente tinha vaga para o mesmo dia. Chegando lá, fui examinada com muito sacrifício, pois eu não queria nem que o médico tocasse em meus seios. Constatou-se um abscesso no seio direito, e a recomendação médica foi tomar Tylenol para dor, e Cefalexina de 8 em 8 horas, por 10 dias.
Dez dias se passaram, e o caroço permaneceu  igual. Na revisão com o mastologista, ele disse que desconfiava que não ia dissolver, mas que o antibiótico era necessário para estacionar a infecção, e que qualquer outro procedimento só poderia ser feito depois desta profilaxia.
Calmamente e pacientemente, comunicou a mim, a meu marido e minha irmã que eu precisaria fazer uma cirurgia urgente para drenagem do abscesso. Chorei feito criança. Muito, muito e muito. Afinal, há apenas um mês eu tinha me submetido a cesariana e agora precisava de novo ir para uma sala de cirurgia.
Mas era necessário, e assim fui. Graças a Deus a cirurgia não deixou seqüelas. Apenas uma pequena cicatriz quase imperceptível.
Minha pequena continuou a mamar incessantemente! Mamou exclusivamente no seio  até os cinco meses, quando voltei a trabalhar.
Confesso que durante toda esta crise, minha razão me pedia para não mais amamentar Só que ela tinha  a mania de cheirar o bico do  seio e se derreter num sorriso absurdamente lindo quando sentia o meu cheiro.
 E FOI POR ISSO QUE AMAMENTEI!!!!!!!!!

0

Feliz Dia dos Professores e Professoras

O grande educador Paulo Freire já nos dizia que "Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda."

Quero aproveitar o blog para parabenizar a todas as professoras e professores do meu Brasilzão.
Guerreiros e guerreiras, que diante de tantas adversidades ainda consegum manter acesa a chama da esperança!
Para vocês, deixo uma mensagem linda que recebi hoje da Editora Aymará, criadora dos livros da Cidade Educadora.
FELICIDADES, PARA VOCÊ QUE NÃO PERDE NUNCA A ESPERANÇA!
0

Desafio

A Mariza, do Cantinho do Rei Arthur, me desafiou a falar nove coisas sobre mim e repassar o desafio para 9 blogs.

A tarefa não é tão simples como parece, mas vamos lá:

1. Sou a mãe da Ana Letícia, a coisa mais preciosa deste mundo.
2. Sou do signo de Peixes, com ascendente em Aquário.
3. Sinto muito sono de dia, e não durmo como gostaria a noite.
4.Estou 12 quilos acima do meu peso ideal.
5.Deus me presenteou com uma família maravilhosa, que inclui irmãos, tios, primos, marido, amigos, etc.
6.Sou Pedagoga, atuo em escola como professora de Nível Fundamental I, mas já estou desejando outra área.
7.Nunca  mais, depois que me tornei mãe, consegui assitir um filme completo estando em casa.
8. Amo leituras.
9. Odeio pagode.

Indico o desafio para ( aqui não posso obedecer, pois ainda tô sem tempo de entrar na net para visitar e seguir outros blogs legais)

1.Fernanda, Mãe da Lulu.
2.Dani, mãe do Tiguim.
0

Selinho da semana

A Fernanda, mãe da coisa mais linda que é  a Lulu e dona de um blog muito legalzão, disponibilizou para as blogueiras de plantão um selinho muito bonitinho.
É este aqui:
Mas para fazer jus ao lindinho, tenho que responder algumas perguntinhas:

1. Meu nome completo é Marina....... S...... Queiroz. Particularmente, acho meu nome lindo demais. Foi escolha do meu pai.

2.Um item de maquigem que fez parte da minha infância foi  brilho labial da AVON, com cheirinho e gosto de chocolate.

3.Meu primeiro corte de cabelo radical , eu devia ter uns 13 anos. Minha mãe não queria, mas eu insisti e meu cabelo ficou parecendo um capacete HORRÍVEL. De lá pra cá, sofro com a mudança radical dos fios.Se arrependimento matasse......

4.A música que marcou minha adolescência foi Não se Reprima, dos Menudos.

5. Meu esmalte preferido sempre foi Rebu, mas isso só depois que parei de roer unhas.

6.Quase sempre esqueço de colocar batom. Vivo de lábios ressecados.

7.Minha peça de roupa favorita é uma calça Jeans, uqe depois que engravidei, nunc amais deu em mim. Mas ela tá guardada, porque a esperença é a última que morre! E tenho dito!

8. Minha foto vou ficar devendo. Amanhã coloco sem falta.

E AS INDICADAS SÃO: Mariza, mãe do Arthur,  e Emanoela, mãe da Sophia.
1

Mais sorteios!!!!!

Achei mais um sorteio legal!
Desta vez, o site Meus filhos... Minha Vida está em parceria com a  Loja La Roya, nos oferecendo um vale compras no valor de R$ 100,00.
Eu já me cadastrei e virei seguidora do blog, cumprindo todas as regrinhas.
E você, está esperando o que para participar também?
Corre lá.
Beijos
3

Um dia de comemoração



No dia 7 de outubro a minha princesa completou 2 anos de vidinha, como ela mesmo diz, rs.
Dois anos de muita alegria, aprendizagem, amor.
Tenho aprendido muito com a minha filha. Ela é uma luz na minha vida. Posso dizer que minha vida esteve dividida em dois períodos distintos: AAL e DAL, ou seja, Antes de Ana Letícia e Depois de Ana Letícia.
E afirmo que o período DAL está sendo o melhor de todos, pois tudo que tenho vivido e aprendido com a minha filha vale por todas as experiências boas e ruins que já tive.
É que Ana Letícia enche o meu mundo de AMOR.
E é com muita graça que desejo sempre festejá-la.

A minha linda Sininho

Papai e Mamãe te amam demais menina linda


Felicidades na hora dos parabéns pra você

Apagando a velinha. Desejos de felicidades mil


A festinha foi em casa mesmo. Aluguei um painel, fiz os docinhos, encomendei o bolo e os salgados. Arrastei os sofás da sala.
Chamei os primos, tios e coleguinhas. Foi uma festa simples, mas o suficiente para nos encher de alegria ao ver o sorriso de alegria da nossa fadinha na hora dos parabéns.
2

Sorteio Mochila Danoninho

Fui a felizarda em ganhar o CD do blog da Mãe da Lulu. Tô tão felizzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz!!!!!!! Além da Lulu ser uma gata, ainda me deu sorte. E Ana Letícia tá super feliz!
Agora, estou participando de um outro sorteio no blog Grávida e Gata, de uma linda mochila Danoninho.
Será que dessa vez ganho também?  :)
Tentem a sorte e passem e concorram!
Beijos
1

Curta....

Há dois anos que a Ana Letícia nasceu.
Hoje, revivo mais uma vez o momento que mudou para sempre a minha vida.
Relembro cada instante.
E percebo que foi/ é muito gratificante ser mãe e ter tido a graça de ter dado a vida.
E tenho certeza que, sem ela, minha vida não teria a mesma graça,  a mesma luz, a mesma intensidade.

Filha, hoje a mãe só tem um motivo maior: te festejar.
Te amoooooooooooooo, do fundão do meu coração!!!!!!!!!!!!!!!


PS: Mais tarde faço um post maior sobre este dia especial. Estou no trabalho....
3

E se......

Até onde nossa capacidade de planejar, executar e escolher determina o que realmente será melhor para nós?!?!
Quem nunca fez esta pergunta: E se???...
E se eu não tivesse feito Pedagogia?
E se eu tivesse casado com meu primeiro amor e namorado?
E se eu tivesse aceitado aquela proposta?

E se eu não tivesse ido por aquele caminho?
E se eu não tivesse confiado tanto?
E se eu fosse mais esperta?
E se eu não tivesse esquecido a pílula?
E se eu não tivesse ficado grávida?..........
Nunca saberemos... ficando por toda a eternidade uma pergunta sem resposta, o incomodo do não saber,  a dúvida se poderia ter  sido pior, melhor, igual ou apenas diferente.
Mas uma certeza eu tenho: e se eu não tivesse tido minha filha, hoje eu não seria o que sou, muito feliz, e com a certeza que minha vida é muito, mas muito melhor do que tudo que eu um dia pude imaginar!
0

Eleitora Ilustre ( da série: Para isso não existe Mastercard)

Hoje fui cumprir meu dever cívico e levei Ana Letícia comigo para votar. Ela viu todo o movimento da rua, panfletagem proibida, etc. No caminho, econtrei uma pessoa conhecida que me perguntou em quem eu iria votar para presidente da República, e ficou prestando atenção à conversa.
Quando chegamos em casa, inicou-se este diálogo com a tia:
----Leti o que você foi fazer?
----Fui votar.
----ÔOOO, que lindo! E você votou em quem?
---- Voti em Malina Qoroz.

Essa minha filha, vai longeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!
1

Sacrifícios?

Me tornei mãe aos 31 anos de idade. Sempre considerei a maternidade algo sublime, e sempre tive certeza que com a mesma alegria que ela  nos desperta para a vida, nos desperta também para um novo cheio de responsabilidades. Nunca achei que ser mãe fosse algum martírio, mas sempre soube que ser mãe envolvia alguns sacrifícios.
Não é que eu seja uma mãe super chata e rigorosa,daquela que não deixam o filho por a mão na boca, mas sempre acreditei que crianças deveriam estar fora de alguns programas de adultos. Não gosto de levar minha filha a bares adultos, preservo a audição dela evitando  levar em festas muito barulhentas, com som muito alto, ou que abusem de músicas com mensagens  fora do padrão infantil (moro em Salvador, e por aqui os estilos musicais atuais não são nenhuma maravilha).
Gosto também de preservar o soninho dela, então, quando o programa envolve chegar muito tarde ou tirar a rotina do sono vespertino, evito de sair. Outro ponto fundamental é que trabalho 40 hs semanais, chego em casa a noite e não acho justo que toda vez que eu deseje ir para a balada deixe minha pequena com a avó ou a tia.
Evito mesmo, e com isso, meus programas andam ficando escassos.
Não considero  sacrifício algum. Tenho convicção de que estou dando o melhor que posso para minha filha. Ela precisa da minha companhia. Hoje, percebo que esta história de qualidade de tempo não é tão verdadeira assim. Claro que tempo de sobra não significa necessariamente qualidade, mas como dar qualidade sem destinar tempo?
Enquanto ela for mais dependente de mim, considero que estou fazendo o melhor.
Formação de caráter, é o que acredito que estou fazendo.

Leti, Tia Maysa e Mamãe, numa de nossas tardes
1

Filha de peixe..... ( da Série: Para isso não existe Mastercard)

Sempre que tento fazer algo no pc, Ana Letícia não deixa. Quer sentar junto, pede pra ver o " totube" e os vídeos da Palavra Cantada, fotos de gatos, bois, e tudo que lhe vier a mente para me atrapalhar encantar com as suas peraltices.
Dia desses, estava tentando digitar uma resposta ao menos satisfatória para postar no fórum da plataforma Teleduc de um curso de Especialização que estou fazendo.  Ela não deixou. Ficou em cima de mim o tempo inteiro, como sempre faz. Não sei porque, mas quando chego em casa não tem para ninguém. Nem papai, nem vovó. Só a mamãe. Às vezes converso com ela e explico que preciso fazer um trabalho para entregar no curso, mas ela não entende ainda.
Daí que um dia desses, liguei o pc e ela veio correndo. Sentou na cadeira e quando solicitada a sair, simples assim, me disse:
----- Pelaí, mamãe. Peciso fazer um tabalinho....
E começou a digitar.

É, filha de peixe, peixinho é.
0

Sessão Pipoca com as crianças


Você se recorda de Emma Thompson como “Nanny McPhee – a babá encantada” em suas desventuras junto aos sete filhos do adorável pai viúvo interpretado por Colin Firth no lançamento de 2005? Passaram-se 5 anos e a babá feiosa e rígida, mas perfeita na medida certa de encantamento e magia volta para enfrentar e ajudar a harmonizar mais uma família.
Desta vez, em “Nanny McPhee e as Lições Mágicas”, a poderosa babá intervém em duas famílias ao mesmo tempo: a de Isabel (vivida por Maggie Gyllenhaal) que precisa cuidar da fazenda sozinha quando o marido vai para a guerra e se vê perdida entre as brigas e desavenças dos seus três filhos e, para completar, dois primos dessas crianças, recém-chegados. Os primos – criados mais ao gosto da aristocracia inglesa – vão passar uns tempos aos cuidados da família e o dia a dia que já era difícil começa a beirar o impossível.Assim, para dar contar do caos, Nanny McPhee é chamada e chega com seu cajado poderoso e suas ordens convencionais a fim de impor disciplina àquelas crianças.


***********************************************************************************
Ontem,eu e meus alunos de 5º ano assistimos a este filme, para fazermos uma análise de como valores básicos como união, respeito e obediência podem transformar a vida das pessoas.Escolhi este filme pois o mesmo oferece diversão com uma lição moral embutida. É legal notar que, apesar do filme explorar as lições de disciplina e educação pela babá, nada é muito forçado. É uma questão de adequação entre a descontração do filme com um ensinamento divertido.O roteiro procura inquietar a mente das crianças, fornecendo, através das situações mais cômicas, importantes fragmentos que serão resgatados no final, ilustrando aos menores como se “brinca” de ser coerente com o que já foi dito.
Ideal para assistir com a criançada.
O interessante é que minha turma assimilou rapidão o que eu queria que eles prestassem atenção. Notaram que a cada boa ação, uma parte "feia" da babá se transformava. O melhor: entenderam que aquilo era uma analogia (claro que não usaram ainda esta palavra), que mostrava que quando fazemos algo bom, nossa alma se transforma e ficamos mais bonitos, por assim dizer. Perceberam também que os objetivos foram conquistados porque todos se uniram para alcançá-los. Muito bom também foi o saque de entenderem que um pouquinho de obediência não faz mal a ninguém.
Eles adoraram! Acho que se identificaram um pouco com as crianças briguentas, rs.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...