14

Notícias e desabafo

Hoje levamos Ana Letícia para fazer o curativo. A bichinha fez um escândalo só para conseguir tirar o esparadrapo da orelha. Mas graças a Deus não está mais inflamado nem com pus, o corte já está até com um cascãozinho.
Mas a mea culpa, minha máxima culpa, permance aqui dentro latejante. Ainda mais porque alguns seres não dispensam a oportunidade de dar palpites e alfinetadas criticando um hábito tão comum que é o de furar orelhas de meninas ainda na maternidade! Porque pelo que sei, o susto é quando a gente vê uma menina sem furo na orelha, ou tô errada?
Ai gente, porque as mães tem que se responsabilizar por todos os males que acontecem aos filhos?
Abdico de noites de sono, diversões, cuido de forma exemplar da alimentação, banho, roupas. Tento educar com o maior zelo, primo por dar bons exemplos sempre, e ainda assim tenho que me sentir culpada por algo fugir do meu controle e ter dado errado?
Essa semana a Mamãe Menta, mãe do baby Cebolinha, fez um post desanimado porque o filho não engordou. Ela sofre porque pensa que a culpa é dela.
A Manu, mãe da Sophia também relatou uma queda e um ralado da filhota, e se sente triste porque não pode estar perto. No mínimo ela estava trabalhando ou estudando e sente-se culpada por isso.
A Vanessa, mãe do Enzo, tembém relata em seu último post sobre um dente quebrado numa das artes do filhote. Ela fala que se sentiu a pior mãe do mundo.
E eu poderia fazer aqui uma lista enorme de quantas de nós sentiu-se culpada por algo que nos fugiu do controle em relação aos filhos e o quanto nos sentimos responsáveis por isso. Faltaria tempo, palavras e páginas no blog para relatar todas as situações em que nos sentimos assim, tão impotentes.
E esse episódio de ontem, mais as diversas palavras bondosas e um tanto de outras super grosseiras e desanimadoras, me fez hoje acordar uma nova mulher!
Podes crer, a culpa ainda tá aqui, reflito. Mas eu vou lidar muito melhor com isso. Preciso, pois essa não será a primeira vez que algo poderá dar errado em relação a minha filha, e se eu continuar pensando que sou UMA DEUSA para conseguir controlar todas as situações, terei que ser internada num hospício.
Gente, definitivamente não faz bem ao nosso coração. Deixemos que quem maltrata os seus filhos, ou não dão a devida atenção, ou deixam com outros para se divertirem de forma exagerada, ou que saem para trabalhar e não cuidam adequadamente de suas crias quando estão em casa, delegando a responsabilidade a outros, façam seus exames de consciência e se culpem.
Eu não! Eu sou Mãe!
Mãe com M maiúsculo, gigante, enorme!
Cuido da minha filha e dou a ela o melhor que possuo, tanto em termos materiais, quanto espirituais e morais.
Não tenho, portanto, motivo para me sentir culpada.

ORAÇÃO DA SERENIDADE
"Concedei-me, Senhor, a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras".

*****
RESPOSTA AOS COMENTÁRIOS

1.Pri, nem fale, nem fale. Parecia que o que estava sendo cortado era o meu coração!
2.Paula, hoje a noite ela pediu gagau, e logo depois desistiu e disse: Quelo sopa. Claro que corri num prato, que ela comeu todinho. Tomara mesmo que continue.
3.Sílvia minha amiga, claro qe pode me chamar assim! A virtualidade é apenas um detalhe, rsrsrs Suas dicas  e nossas conversas são tão preciosas que parece que nos conhecemos a mil anos! Mandarei sim a foto, e vou fazer um post também, contando como ela está sendo usada.
4.Claudinha e Lilian, obrigada pelas palavras. Hoje já acordei mais aliviada quanto a culpa.
5.K-Cau, penso que esta questão é um tanto cultural mesmo. Aqui em casa tem tantas meninas,todas de orelhinhas furadas,  e como disse a Sílvia, a opção por furar ainda bebê era livra-la da dor futura, e infelizmente aconteceu isso.
6.Lu, minha linda, senti mesmo sua falta no blog. Como vai o Nic? Obrigada pelas doces palavras.
7.Manu, tava sentindo sua falta por aqui, rs. Realmente, não sei explicar o motivo de furar a orelha, acho que também fui levada pela questão cultural. E estava dando tudo certo até então. Mas hoje já acordei bem melhor em relação a esse sentimento.

14 comentários:

Priscila Sant'Anna: disse...

Amiga,
como disse outro dia em um post: as mães carregam o mundo! E agora eu acrescentaria: carregam a culpa do mundo. Difícil lidar com tudo. Também tô cansada disso. A gente quer ser a super mulher, mas não dá...pq a super mulher não consegue estar em todos os lugares ao mesmo tempo...e mesmo se esforçando para acertar sempre, tem coisas que saem do controle,né?

Agora um basta na CULPA!
Chega de culpa.
Vamos curtir o prazer dessa caminhada linda, que é a maternidade.

Bjs
Pri e Bia

Chris Ferreira disse...

Oi Marina,
primeiro amei o novo layout.

ô mulher, não se culpe não. Essas coisas acontecem! A gente faz o nosso melhor e pensando no bem das nossas filhas.

Eu só furei a orelha com 10 anos. Coloquei uma argolinha de ouro. Fui para a escola e em uma brincadeira a argola ficou presa na manga da blusa de uma amiga e rasgou a minha orelha. Hoje não tem nem sinal, nem marca. Pode acontecer em qualquer idade, mesmo as mães tendo todo o cuidado do mundo.

Você é Mãezona. Paz no seu coração!
Melhoras para a Ana Letícia.

beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com

Vanessa e Enzo disse...

Oi Marina!
Vim aqui ler o post e vejo o nosso link! Curti (tipo facebook rs).
Mas vamos ao assunto...
Acho que a culpa caminha junto com a maternidade. Nos esforçamos para dar o nosso melhor e nos achamos as piores quando algo acontece. É normal... mas acaba afetando não é?
Eu passei uma noite toda querendo voltar no tempo para recuperar o lascado do dente do Enzo...
E você tá certa, o susto é justamente quando quando a menina não tem a orelha furada...
Vamos caminhando né?
Nessa delícia por vezes acompanhadas de algumas pitadas de culpa.
Trocando figurinhas a gente se ajuda e tenta amenizar um pouco.
Viva a blogosfera rs
Beijinhos para vcs (melhoras de 100% para a Ana Letícia)
Obs: O novo Lay está LINDO!

Chica disse...

Nem esquenta.Não tens culpa de nada.Vai firme e em frente!beijos,tudo de bom,chica

Elisabeth disse...

Nós fazemos sempre o que consideramos melhor para nossos filhos. Não podemos entretanto viver suas dores ou muitas vezes evitá-las. Somos mães que querem acertar, que buscam fazer o melhor todos os dias... Críticas, sempre receberemos! Acertando ou errando... O que importa é o que vai no coração, as atitudes e nosso valor. Esqueça essa culpa, você fez o seu melhor. Culpada seria se você visse e não desse atenção, se não se preocupasse ou cuidasse da sua pequena...
Bjks e melhoras no seu coração e na orelhinha da Ana Letícia!

Manu Paz disse...

Pois é amiga, somos mesmo muito criticadas, e qualquer acontecimento carregamos conosco esta culpa infeliz. Mas enfim, a vida continua. Fazem dois dias que a Sophia está com diarreia, e eu cheguei a comentar: a culpa foi minha, deve ter descuidado com algum alimento. Pode isso?

Desejo melhoras pra sua princesinha!

Desculpe por estar longe deste cantinho aqui, tô sem note em casa e tenho acessado somente do trabalho e nem sempre dá pra comentar.

Um beijo!

Mãe Mochileira,filho malinha.. disse...

Oiiii! que bom q vc comprou sua mochilinhaaaa..pena ter perdido o desconto..owww.. ;-(

olha, parece q qndo a gente é mãe nasce tb c a gente um danado de um sentimento de culpa que não larga nosso pé,não é mesmo?? acho que é assim como todas nós..rsrsrs..melhoras para a pequena,tá?? beijão,otima semana!!!
;-)

Beatriz Zogaib disse...

Marina, que lindo que está seu blog! Faz tempo que não venho né? Mas, olha, saiba que compartilho da opinião de que mãe é culpa e todo mundo culpa a mãe. Escrevi sobre mais ou menos isso dias atrás...
Beijos
Bia (www.vidadamami.blogspot.com)

Ana disse...

As coisas são assim: Se não coloca brinco é mãe relaxada que não cuida da filha, que deixa parecendo um menino. Se fura é mãe má que não pensa no sofrimento do bebê, que é vaidade, etc, etc.
Quem iria imaginar que isso poderia acontecer?
Ou alguém acha que provocamos, que deixamos acontecer?
É prazeroso para muita gente acusar, jogar pedras nos outros. Na mães então é esporte favorito.
A gente precisa aprender é tirar essa semente da culpa que insistem em fazer crescer.
Bjs!

Carol Liôa disse...

ai amiga q dó!! fui ler a outra postagem p entender essa chega doeu em mim... fiquei agora com um aperto... furo ou ñ furo a orelhinha da Clarice???

Chris Ferreira disse...

Oi MArina,
talvez ser pedagoga seja a minha vocação mesmo. Mas só descobri isso depois de ter tido as minhas filhas. Aí já estava em outro caminho. Bom, sempre dá para pegar um atalho né?
beijos
Chris
http://inventandocomamamae.blogspot.com/

Adriana disse...

Oi flor! realmente vc não deve sentir-se culpada de nada. Sei muito bem o que vc está sentindo, lá em casa se a minha filha solta um pum fedorento a "culpa" é minha. Já sofri muito por conta disso, hj não mais. Sei a boa mãe que sou e não deixo a opinião alheia interferir na minha sanidade mental!!!

bj

Carol Liôa disse...

flor te mandei o email^^ bjsss

Silvia Azevedo disse...

Que bom que agora está tudo bem, né?
Saudades!!!
Estive afastada, mas aos poucos vou retomando as visitas aos blogs queridos. Beijão!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...